fbpx

O melhor professor do mundo é do Quênia

Peter Tabichi, do Quênia, foi o grande ganhador do Global Teacher Prize neste ano, prêmio considerado o “Nobel da educação”.

O professor de ciências e monge franciscano ensina matemática e física para adolescentes na comunidade de Pwani, onde mais de 90% dos estudantes vivem em situação de pobreza e o abuso de drogas e a gravidez na adolescência são problemas comuns. Mas as aulas de Peter estão longe de ser o único impacto positivo do professor na comunidade. Ele também doa 80% de seu salário para projetos sociais locais.

O Brasil teve dois representantes entre os 50 melhores professores do mundo neste ano: Débora Garofalo, de São Paulo e Jayse Antonio da Ferreira, de Pernambuco. Débora chegou a figurar no Top 10 da competição. Foi a primeira vez que uma mulher brasileira ficou entre os finalistas do prêmio.

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.