fbpx

Consistência na defesa de TODXS as famílias

Qual é a cara da “família tradicional brasileira”? Nos últimos anos, o termo ganhou destaque e virou objeto de disputa simbólica. Se para os setores mais conservadores da sociedade a família é bem traduzida por um comercial de margarina, a realidade brasileira é prova de que essa realidade já está se transformando em ficção.

Segundo dados mais recentes do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de 2005 a 2015, o Brasil ganhou mais de um milhão de famílias composta por mães solo, chegando a 11,6 milhões. Além da monoparentalidade, novos arranjos familiares ganham cada vez mais visibilidade e traduzem nossa sociedade. É o caso da pluriparentalidade, mais conhecida como família mosaico, e da homoparentalidade, cujo reconhecimento jurídico é fruto da luta de diversos movimentos sociais da população LGBTQIA+

MARCAS CORAJOSAS

Alinhada ao “espírito do tempo”, a Natura, reconhecida pela ousadia e consistência em seus posicionamentos em relação ao meio ambiente, à beleza livre e à diversidade, colocou no ar a campanha de Dia dos Pais #MeuPaiPresente, com o intuito de mostrar como as relações entre pais e filhos foram transformadas na pandemia.

Entre os escolhidos para participar da campanha, está o ator transgênero Thammy Miranda, que, como parte da ação, fez um vídeo em seu Instagram com o filho Bento. Não demorou a surgirem críticas e mensagens de ódio, além de manifestações de boicote lideradas por figuras como Silas Malafaia e Eduardo Bolsonaro.

Em resposta, a companhia divulgou uma nota curta, destacando que diversidade é valor expresso em suas crenças há mais de vinte anos e que “A Natura celebra todas as maneiras de ser homem, livre de estereótipos e preconceitos”. Além disso, os próprios consumidores e outros atores da sociedade advogaram pela marca.

Além de ganhar o apoio de artistas e outros influenciadores, como Felipe Neto, as ações deram um salto de 6% após o barulho, um indicativo de que se posicionar de forma contundente sobre uma causas pode ter reflexos positivos não só na percepção do consumidor, mas também na de investidores.

CONSISTÊNCIA E COERÊNCIA

O caso da Natura é mais um exemplo de como empresas que se posicionam com convicção em relação às causas que defendem, geram retorno para sua marca e seus shareholders. Entretanto, não basta apenas tomar posição. É preciso tomá-la com convicção.

Antes de tudo é preciso saber exatamente quais são os princípios que orientam essas posições: no que essa marca acredita e qual é o seu propósito. A tal “verdade da marca”. É isso que vai nortear as ações para que elas aconteçam sempre com consistência e coerência. A forma como a marca age é consequência de uma ética bem definida e reconhecida por todos.

Portanto, muito cuidado! Sem esses princípios bem definidos (propósito e crenças), a marca pode cair no erro do discurso vazio, sem argumentos para se defender dos ataques opositores.

Mônica Gregori, nossa sócia, ampliou essa discussão e a análise do caso Natura ao site Clube de Criação. Vale a pena conferir!

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.