fbpx

COMBATE À FOME NO PÓS-PANDEMIA

Os impactos econômicos e sociais da pandemia do coronavírus poderão lançar à fome um contingente de 132 milhões de pessoas até o final do ano. O número se somará aos quase 690 milhões contabilizados em 2019 e trará consequências drásticas para todo mundo. O alerta foi dado pelo relatório Estado da Segurança Alimentar e da Nutrição do Mundo em 2020.

Lançado na última segunda-feira, 13, pela FAO – Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, o documento aponta que o aumento da fome, detectado antes mesmo da pandemia, compromete o alcance do 2º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, sobre erradicação da fome e segurança alimentar.

A América Latina é umas das regiões preocupantes. Há cinco anos consecutivos que o indicador cresce por aqui e a previsão é de que em 2030, 67 milhões de latino-americanos não conseguirão consumir calorias diárias suficientes para levar uma vida ativa e saudável.

AGIR É URGENTE!
É indispensável que os governos globais olhem para os números com atenção e insistam em programas de proteção social, combate à desigualdade e fortalecimento da agricultura familiar.

O Brasil, no entanto, tem falhado em garantir condições mínimas de sobrevivência aos mais pobres e pode se tornar, no pós-pandemia, um dos epicentros globais da fome, junto com Índia e África do Sul, como apontou a OXFAM no documento O Vírus da Fome: como o coronavírus está potencializando a fome em um mundo faminto.

UM PROBLEMA POLÍTICO E LOGÍSTICO
A fome é um dos tópicos abordados no estudo Causas para se Observar na Pandemia, realizado pela Cause. Por aqui, fome e segurança alimentar são problemas estruturais, portanto, difíceis de serem resolvidos, especialmente considerando o atual governo.

O combate deve combinar ações políticas, como investimento público na agricultura, e econômicas, com aumento da renda da população. Mas também mudança cultural e logística, já que somos um dos países que mais desperdiçam alimentos do mundo.

Se o trabalho é árduo, o horizonte é otimista, já que a causa da fome tem força suficiente para mobilizar e engajar pessoas na construção de um ecossistema poderoso, com poder público, iniciativa privada e sociedade civil organizada. Leia o documento para ver alguns caminhos possíveis.

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.