O que o discurso de Lady Gaga tem a ver com o Brasil?

No último domingo, 10, a cantora Lady Gaga usou seu discurso no Grammy 2019 para falar da importância de discutir os problemas causados pelas doenças mentais.

A cantora, que sofre de Síndrome de Estresse Pós-Traumático, também escreveu, no final do ano passado, um artigo no jornal The Guardian comentando sobre a alta taxa de suicídios no mundo.

Ao longo da semana, o mesmo tema repercutiu no Brasil. É que o, ministro da saúde, Luiz Henrique Mendetta declarou que o eletrochoque não deve ser uma técnica descartada no tratamento de doenças mentais.

O posicionamento veio depois da publicação de um documento que dá aval à compra de eletrochoques e à internação em hospitais psiquiátricos no SUS, entre outras medidas.

Para encorajar a discussão do tema, a #CausaDaSemana é sobre #SaúdeMental.

Para alguns especialistas, o documento do Ministério da Saúde vai na contramão da Reforma Psiquiátrica de 2001, que garantiu a desospitalização de pacientes.

Outro ponto levantado por estudiosos é a resistência dos hospitais gerais em aceitar e tratar pacientes psiquiátricos, que precisam de uma equipe especializada.

Já quem é a favor afirma que a nova política  dá mais possibilidades de tratamento para pacientes em situação de crise.

Enquanto a nova Política de Saúde Mental passa por revisão, o número de pessoas diagnosticadas com alguma doença do tipo vem crescendo.

O suicídio já é a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. A metade dos casos é de pessoas com até 14 anos de idade.

O Brasil não tem muito do que se orgulhar. O país é campeão de casos de depressão na América Latina, com cerca de 11,5 milhões de doentes. Entre os transtornos ainda estão ansiedade e o uso abusivo de álcool.

Com um investimento insuficiente para os tratamentos por vários países, a Organização Mundial da Saúde estima que até 2020 a depressão seja doença mental mais incapacitante do mundo.

A discussão sobre o tema tem ocupado cada vez mais lugares. O príncipe William falou no Fórum Econômico Mundial sobre a relação entre saúde mental e o ambiente de trabalho.

William, junto com sua esposa, é criador da campanha Head Together que combate o estigma às doenças mentais.

A imagem de um ovo, que se tornou a foto mais curtida da história do instagram, também se tornou uma forma de sensibilizar e refletir sobre a pressão das redes sociais.

Pelo menos 20% da população mundial vai ter algum tipo de transtorno mental ao longo da vida. Mas o estigma social tem dado a doença um alto poder de letalidade.

A manifestação de gente famosa, como Lady Gaga e o príncipe William, inegavelmente ajuda a chamar a atenção sobre o tema. Mas é preciso que a sociedade fique atenta, em seu âmbito de influência, para que retrocessos não ocorram.

Em vez de abrir margem para a disseminação de métodos invasivos, as autoridades brasileiras deveriam se abrir para debater. A depressão, como fenômeno social, é algo a se ouvir. Nenhuma doença é tão silenciosa que nunca dê sinais.

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.