Invisibilidade ainda é desafio deste grupo no Brasil

CRÉDITO: Audi Nissen/ Unsplash

A última segunda-feira, 3, marcou os esforços por inclusão e pelo combate ao preconceito com a comemoração do Dia Internacional da Pessoa Com Deficiência.

Com a intenção de colocar em evidência esse movimento de integração, a #CausaDaSemana é pela #InclusãoDasPessoasComDeficiência.

Para marcar a data, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou uma publicação sobre como promover desenvolvimento de forma inclusiva para esse público.

Segundo levantamento da Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 15% da população mundial porta alguma deficiência, cerca de 1,5 bilhão de pessoas.  

No Brasil, o IBGE aponta que cerca de 6,7% da população têm alguma deficiência física, ou seja, possui muita dificuldade ou não consegue realizar funções e atividades básicas.

Além dos percalços do dia a dia, as pessoas com deficiência também enfrentam barreiras no mercado de trabalho. Elas ocupam apenas 1% de todos as vagas de emprego formais existentes no país.

A invisibilidade é um dos grandes desafios a ser combatidos. Uma pesquisa feita em São Paulo registra que um terço da população simplesmente não percebe as dificuldade os deficientes em lugares públicos.

Em artigo para o Estadão, a superintendente da APAE de São Paulo, Aracélia Lúcia Costa, relembrou os esforços de advocacy da entidade para fazer valer a Lei Brasileira de Inclusão.

Na Folha de S. Paulo, o diretor de RH do McDonald’s no Brasil, Marcelo Nóbrega, relembrou a importância de criar políticas internas específicas, com profissionais capacitados, para receber as pessoas com deficiência e aproveitar o seu melhor.

Em 2016 uma propaganda promovendo as paraolimpíadas do Rio de Janeiro fez sucesso na mídia.

Naturalmente, ações desse tipo são sempre bem-vindas para dar visibilidade à causa da inclusão. Mas, como mostram os número que vimos há pouco, ainda há um longo caminho para transformar boa intenção em diversidade de fato.

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.