fbpx

O mundo não está errado

Entre continuar a rodar as engrenagens da economia a qualquer custo e salvar vidas não deveria haver espaço para questionamentos, mas o que temos visto nesta semana é o comportamento contrário. A fala vem de empresários, apresentadores de TV e chega, infelizmente, até o Presidente da República, que, em meio à pandemia, conseguiu em poucos minutos fazer um dos maiores desserviços ao Brasil em meio à crise da saúde no combate ao Coronavírus.

Em seu pronunciamento em rede nacional, Jair Bolsonaro minimizou o risco de uma doença que já levou a óbito milhares de pessoas ao redor do mundo, e ainda relativizou mortes. Uma atitude sempre inaceitável. Mas isso acontece em nome do quê? Do próprio ego? Da redução dos prejuízos para as empresas?

Em mais um capítulo trágico em sua gestão, o presidente demonstra, mais uma vez, falta de empatia e sensibilidade em um momento tão delicado, descartando o fato de que a indústria, antes de serem feitas de maquinários, é construída e se mantém de pé por conta das pessoas.

É inaceitável que em um momento como este, o país perca vidas e se afunde em complicações econômica ainda maiores por conta de disputas políticas. É hora de colocar o ego de lado e admitir que o acesso à saúde e a ciência, tão menosprezadas pelo atual governo, são as únicas salvações possíveis, contrariando o que qualquer messias possa prometer ou afirmar. 

O mundo todo não está errado. As lágrimas derramadas pelas mortes ocorridas em tantos lugares não são uma mentira. A urgência pela vida e o respeito a ela, hoje, tem uma forma concreta de demonstração: ficar em casa. É imprescindível que nos afastemos um dos outros por enquanto para que os mares daqui não se tornem mais salgados quanto os que banham a Europa e a Ásia. #fiqueemcasa

Cause

Somos um time multidisciplinar de profissionais das áreas de Administração, Antropologia, Ciência Política, Design, Gestão Pública, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade. Propomos um olhar integrado a partir dessas competências para promover as causas em que acreditamos.